Entretenimento

Como um artista ganha pelo streaming no Spotify, Apple Music e outros

A internet e suas  novas plataformas mudaram radicalmente as nossas relações sociais, influenciando diretamente no nosso consumo e forma de atuação no mercado. Para os artistas as plataformas de streaming representam uma nova maneira de veicular seus trabalhos, numa relação mais direta.

Entretanto, nem sempre essa relação pode ser benéfica, principalmente no caso dos músicos. Muitos reclamam do baixo valor repassado por suas obras, além da interferência de atravessadores, como gravadoras e distribuidoras.

Por isso vamos explicar melhor ao longo do texto como funciona essa relação e o quando os artistas podem ganhar no streaming.

Quanto cada plataforma paga para os artistas

Para fazer os pagamentos das cotas de forma padronizada, plataformas como Spotify e Apple Music definiram que algumas referências. Sendo assim, a monetização é feita a cada reprodução de conteúdo.

Apesar de ser uma das plataformas mais populares no mundo, o Spotify é o terceiro no ranking, perdendo para  a Amazon e Apple. Esta última, aliás, é a que representa o maior percentual de lucro nos royalties de streamings.

Vale lembrar que os valores têm como referência o dólar. Sendo assim, o valor muda constantemente em relação ao real. De todo modo, veja o valor pago por reprodução nos principais serviços:

  • Spotify: US$ 0,00348;
  • Apple Music: US$ 0,00675;
  • YouTube Content ID: US$ 0,00022;
  • Amazon Music Unlimited: US$ 0,01123;
  • Deezer: US$ 0,00562;
  • Google Play: US$ 0,00554;
  • Pandora: US$ 0,00203;
  • Tidal: US$ 0,00876.

Como é feita a divisão de royalties entre artista e gravadora

Se os valores relacionados acima já parecem baixos para monetizar todo o processo de criação e distribuição de álbuns e singles, o panorama pode fica ainda mais crítico.

Isso porque muitos artistas têm contratos com gravadoras e produtoras musicais, que são responsáveis pelo custo de produção e marketing, por exemplo. Dessa forma, os valores arrecadados junto aos agregadores são destinados para cobrir tais custos.

Esse modelo de negócio já foge de Spotify, Apple, Amazon e outros. O contrato de direitos autorais e percentual de repasse é celebrado entre artista e gravadora, definido antes mesmo do lançamento do single.

Número de reproduções necessárias para receber um salário mínimo

Afora os grandes artistas, que movimentam milhões em patrocínios, vendas e monetização de streaming, os cantores têm nos royalties sua principal fonte de renda, junto com os shows.

Portanto, é interessante fazer uma projeção de quantas reproduções é preciso para receber um salário mínimo. De acordo com os valores que trouxemos aqui e levando em conta que falamos de um artista independente, é preciso algo em torno de 790 mil reproduções no Spotify para que obter um salário mínimo.

Convenhamos que para atingir esse patamar de reproduções não é qualquer artista que consegue.

Comments Off on Como um artista ganha pelo streaming no Spotify, Apple Music e outros